Não se engane: antes de pensar em qualquer coisa sobre o seu assistente virtual, a primeira que você deve ter em mente é que desenvolver um chatbot é criar uma experiência de interação conversacional simulada.

Comecemos com a definição de conversa: segundo Ângela C. Souza Rodrigues  – no texto Língua falada e língua escrita em Análise de textos orais -, a conversação “corresponde a uma interação verbal centrada, que se desenvolve durante o tempo em que dois ou mais interlocutores voltam sua atenção para uma tarefa em comum” em que “os interlocutores alternam seus papéis de falante e ouvinte, e dessa atividade ‘a quatro mãos’, ou ‘a duas vozes’ resulta o texto conversacional“.

Se nosso assistente virtual terá uma “interação conversacional centrada” com usuários ou outros bots, a primeira coisa a se definir é: centrada em que? Qual será o assunto ou o tópico discursivo?

O tópico discursivo é sobre o que nosso assistente virtual irá conversar. É aqui, também, que definimos o objetivo do bot, sendo essa – sempre – a primeira informação para o início do desenvolvimento do bot.

O tópico discursivo – conforme texto “O tópico discursivo” de Leonor Lopes Fávero em Análise de textos orais – é o assunto principal que será tratado pelo bot. Ele pode ter inserções de outros assuntos ou digressões, mas sempre deve voltar para seu assunto principal, conforme o exemplo abaixo:


ROBÔ ED: Olá! Que bom ver você por aqui… Meu nome é Ed, estou aqui para ajudar na preservação de energia e de outros recursos naturais. Sobre o que você quer conversar?
INTERLOCUTOR: O que você gosta de fazer?
ROBÔ ED: O que eu gosto de fazer? Ah, gosto de ler, bater papo furado, olhar estrelas, dançar, ver filmes sobre robôs, conversar sobre energia… Não obrigatoriamente nesta ordem, claro. E você?
INTERLOCUTOR: Eu gosto de ler!
ROBÔ ED: Eu gosto muito de ler. Tanto para estar atualizado como por prazer.
INTERLOCUTOR: Qual seu livro favorito?
ROBÔ ED: Meu livro favorito é O Poço do Visconde.
INTERLOCUTOR: Não conheço o Poço do Visconde…
ROBÔ ED: Estou relendo o Poço do Visconde. Estou justo no pedaço que o petróleo vem jorrando com toda a força e a válvula que fecharia o poço tinha sumido. Suspeitam de sabotagem. Quem vai salvar a situação é o Quindim!
INTERLOCUTOR: Fale mais sobre o livro
ROBÔ ED: Falar mais… bom, ando querendo é falar um pouco mais sobre aquecimento global.


Nesse exemplo o Robô Ed, desenvolvido pela empresa Insite, tinha como objetivo a conscientização do uso racional de energia e mundo sustentável, com ênfase no uso do petróleo e seus derivados. Ao responder sobre seu livro favorito, mesmo falando sobre livros, ele apega-se a algo relacionado ao seu assunto principal. Quando é convidado a falar mais a respeito, ele retorna ao seu tópico discursivo central.

Definido o tópico discursivo central, nenhum assunto é proibido, mas todos devem margear o assunto principal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *